Pagação de pau, puxação de saco, pilantragem, filha-da-putagem,…

Esse post é uma cópia do post que eu fiz no meu blog no sábado. Postei lá pq não achei que valia a pena criar intrigas aqui, mas devido aos recentes trabalhos, não só meus mas de meus colegas sinto que não devo guardar meus pensamentos para mim e meu blog, já que não sou a única a pensar assim.

Tenho andado meio revoltada com as coisas, acho que é um inferno astral, falta de tempo pra fazer o que gosto, excessos de trabalhos na faculdade, sei lá. Tudo tem andado de uma forma que tem feito eu ver como existem pessoas na vida que fazem de tudo pra saírem por cima.

Sinceramente, cada dia que passa eu desacredito cada vez mais nas pessoas do meu semestre do curso, não digo dos outros semestres pois não convivo com eles pra saber. O que acontece com esse pessoal? De verdade? Que necessidade é essa de querer ganhar nota as custas da manipulação das emoções dos outros e as custas dos outros? Trabalhos imbecis ganham nota boa por que os alunos levam bolinho pra professora? Pq chamam a professora pra ir no cinema? Pq prometem resgatar um passado que não interessa a ninguém? Pq pediram pra outra pessoa fazer e assinou com o próprio nome? Que merda é essa? Não passei 2 anos no cursinho pra lidar com esses tipos de atitudes imaturas, tipicas adaquele aluno idiota do ensino médio que sentava na frente, dedava todo mundo, mas só tirava notas medíocres.

Nos dois anos (ou 4 semestres, que seja) que fiquei no cursinho lutando por uma vaga na UnB uma lição valiosa aprendi: Se você não fizer por onde, você não vai longe, nada vem sem esforço. Que porra essas pessoas estão aprendendo com essas atitudes? De nada vale um coeficiente perfeito se na hora do vamos ver, vocês não dão conta de fazer nada, nem de melhorar um decalque idiota do próprio rosto – vocês tem que pedir para outra pessoa com talento fazer.

Se tem uma coisa que eu não estou fazendo nessa faculdade é ficar puxando saco de professor, não acredito nessas coisas! Acho uma puta babaquice esses professores cuzões, que por serem cuzões não ganham a simpatia sincera dos alunos e consequentemente são carentes, cederem a esse tipo de bajulação. Eu não rio de piada idiota, acho um saco ouvir anedotas babacas que em nada acrescentam na aula e mantenho uma relação aluna-professor, nada além disso! Se algum dia eu virar amiga de professor pode ter certeza que não é porque fiquei dando risadinhas forçadas, nem fiquei oferecendo bolinhos em conversinhas informais a tarde, foi porque houve afinidades. Nunca forcei amizade com ninguém e não vai ser pra ganhar nota que farei isso.

Rosamélia você não lê meu blog mas meu baralho valia muito mais que 8! Tudo nele tinha fundamento, toda diagramação foi pensada (inclusive a do memorial idiota que vc pediu), não teve um elemento que não fosse justificado, desde o arranjo das imagens a embalagem, envolver ludismo no trabalho não o torna menos valioso, aliás odiamos pagar de cults, não precisamos provar nossa bagagem cultural pra ninguém que nem certas pessoas fazem questão de agir dessa forma; nosso baralho não foi cópia de semestres anteriores, que nem um que ganhou quase dez e os erros de diagramação não valiam dois pontos. Nunca mais pego matéria com você, nem com nenhum outro professor carente. Prefiro reprovar e fazer essa matéria com outra professora que vai ensinar alguma coisa a fazer com você e ficar ouvindo suas histórias adolescente que você conta pra tentar provar que um dia você foi descolada (aham claúdia!)

Doa a quem doer essa bosta é verdade, só nega quem não quer enxergar.

 

Quem escreveu essa bosta toda foi a Bárbara e vai se fuder quem não gostou.

Anúncios
Publicado em Uncategorized | 12 Comentários

a grande campanha da atlética

boa tarde pessoas bonitas.

queria deixar aqui minha revolta com o e-mail que a atlética da faculdade mandou semana passada :~~~~

era um e-mail pedindo pra doar sangue e tals, mas o que me doeu o estômago foi a imagem que eles colocaram. só veja a imagem se você for forte:

 

putz

putz

QUALIDADE JÓIA EIN AMG.

enfim né, tem design na faculdade pra que? pra ter mais viados? não, pra fazer parte da universidade e consequentemente, da atlética/dce/etc.

só isso mesmo. ):

obrigada, sejam felizes

Publicado em Uncategorized | 6 Comentários

oi

meu nome é emília e eu revivi a safra ruim, bgs

TROLLEI MESMO

 

 

Publicado em Uncategorized | 4 Comentários

papanamericano

Hola.

Meu nome é @eeervilha e eu sou a mascote da safra ruim. Prazer.

Vim aqui dar aquela agitada no blog, postando um vídeo no qual sou viciada. Trata-se da dupla de dançarinos Cleary e Harding, o Up & Over It. Nesse vídeo eles trazem uma proposta de dança bem bizarra, digamos. Um tal “sapateado com as mãos”. Enfim, pra que falar? vê aí e remexe a bundinha.

Só digo duas coisas: se eu tivesse uma coordenação dessa nas mãos eu seria muito mais feliz. KEKE

E a outra coisa: a maldade está nos pensamentos de quem lê.

Publicado em Uncategorized | 4 Comentários

Layout provisório

Por enquanto a safra ruim vai ser essa mosca mal centralizada, com os acentos em pixel, num layout mal feito pela Barbrinha, melhor que ter a imagem do wordpress né??? Os únicos créditos que preciso dar é pro netfontes que tem essas fontes gracinhas pra baixar e pra Germer (lê-se Guermer) que forneceu a mosca morta pra que eu fotografasse (mosca morta sacou?!? hã-hã)

Sendo assim o “a embalagem é feia mas não liga” caiu como uma luva, tiramos essa frase daqui:

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Por que A safra ruim?

Um breve prólogo sobre a imagem que você verá…

Um belo dia uma caloura cabaçona veio com papos sem noção sobre quais médias, notas de corte ela deveria ter para entrar na nossa faculdade, até aí tudo bem, mas daí veio com papos de qualidade do curso, rivalidades entre faculdades, que havia estudado nas melhores escolas de São Paulo blá blá blá; um monte de baboseira que obviamente fizeram que todos zuassem a garota, inclusive eu, ela não contente insiste no assunto e ocorre essa cena:

Então cá está a safra ruim  sendo representada ciberneticamente ^^

Publicado em Uncategorized | 4 Comentários